Tá bonita a festa, pá!

by

“Sem liberdade para espinafrar, nenhum elogio é válido”. Assim o saudoso e genial Carlos Imperial abria as críticas que produzia para revistas, rádio e TV.

É usando o mesmo argumento que me disponho a comentar um pouco sobre a festa do centenário de Cambuquira que acontece esta semana. Falta qualquer programação relacionada a veranistas e à história da água mineral. Aliás, os banners espalhados pelas ruas anunciando “Temos a melhor água mineral do planeta” provocam risos pela bobagem do exagero. É preciso mais que megalomania e bravatas para resgatar o apreço pelo precioso líquido. Mas hoje não quero falar disso. Quero mostrar outro lado da história.

O Centro Cultural Sinhá Prado montou, com os alunos da rede pública, uma espetacular exposição de fotografias que resgata a história da cidade através das imagens. No domingo, dava gosto ver as famílias relembrando suas histórias e reconhecendo seus antepassados. Tinha senhoras com olhos marejadas pelas boas lembranças. Três aspectos se destacam nessa iniciativa: o aprendizado dos pesquisadores-mirins sobre suas raízes, a admiração do público e a beleza do espaço cultural.

Não bastasse a exposição fotográfica, o Cine Elite, do mesmo Sinhá Prado, abriu uma mostra de cinema com sessões gratuitas toda noite até o dia 20. Rua Direita alegre, cultural e civilizada, com famílias passeando, como não se via há muito, muito tempo.

Ainda há pouco, me telefona uma “correspondente” de Cambuquira para contar que a apresentação da Esquadrilha da Fumaça foi um… sucesso! O povo local, que na maioria só vê avião na TV, teve acesso a um dos espetáculos aéreos de melhor qualidade do mundo. Camille conta que a cidade, durante uma hora, só tinha olhos para os aviões multicoloridos riscando um magnífico céu azul. Um espetáculo digno de uma festa de centenário. Ela se emocionou.

E à noite? Bom, tirando os violeiros, as bandas contratadas não são propriamente o gás da Coca-Cola, mas, que diacho!, o povo está gostando. A verdade, me custa dizer, é que o povão está gostando. Pode ser muito circo para pouco pão, mas no momento o pessoal não está preocupado com isso.

Resumindo, uma festa mais cultural seria interessante apenas se a cidade não estivesse na situação crítica em que chegou. É uma festa só para a cidade, não para turistas. Neste perfil, a comemoração popular está não só apropriada, como boa. Então, da mesma forma que cabem críticas quando o prefeito Kaka Xavier (PT) pisa na bola, ficam aqui as congratulações do IA pelo acerto da programação. Tomara que este êxito sirva de inspiração para começar a mudar realmente a cidade.

Para não perder o hábito, uma ressalva: o som e luz do palco em frente ao parque são bons, mas estão mal trabalhados, os artistas têm reclamado. E uma sugestão: em eventos futuros, a prefeitura deveria fazer uma divulgação bem mais abrangente e profissional das atividades.

Esta semana é de festa. Parabéns, Cambuquira! Semana que vem a gente volta a azedar a vida.

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
E inda guardo, renitente
Um velho cravo para mim

(Chico, Tanto Mar <<< clique para ouvir)


%d blogueiros gostam disto: